cior
///

Menu

App Android

A CIOR no teu smartphone ou tablet android.

Untitled Document

Notícias

:: CIOR::

Educação

O que é que a Cior tem

A Cooperativa de Ensino de Vila Nova de Famalicão, mais conhecida por Cior, é a escola profissional do concelho que mais alunos atrai, com um total de 360. Com cinco cursos profissionais e cinco cursos vocacionais, esta escola tem uma taxa de empregabilidade superior a 70 por cento, sendo que cerca de 15 por cento dos alunos prosseguem os estudos. Esta quarta-feira, a instituição recebeu o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no âmbito do périplo de visitas que o autarca está a realizar pelas escolas profissionais do concelho. 

Acompanhado pelo vereador da educação, Leonel Rocha, e guiado pelos diretores da escola, Amadeu Dinis e José Paiva, o presidente da Câmara Municipal visitou as instalações e conversou com alunos e professores, mostrando-se “muito satisfeito” com o ambiente que se vive na Cior.

Os resultados são fruto de “um trabalho diário muito intenso e dinâmico, que desenvolvemos com os alunos”, afirmou o diretor pedagógico, José Paiva. Apesar do elevado número de estudantes, o ambiente que se vive na Cior é quase familiar. “Conhecemos bem os nossos alunos, sabemos das suas mais-valias, mas também das suas dificuldades e nunca desistimos deles”, acrescentou ainda o responsável.De resto, o espírito que se vive na escola ficou bem patente nas palavras de Stoica, de 16 anos, um aluno que falou em nome de todos. “A Cior é uma escola organizada, com profissionais trabalhadores, empenhados e vocacionados para isto”, salientou.Com a maior parte dos alunos a frequentar os cursos de Mecatrónica Automóvel, Metalomecânica e Instalações Elétricas, a Cooperativa de Ensino é procurada por muitos jovens de fora do concelho, sendo a grande maioria do sexo masculino.“Temos muitos jovens que vêm do distrito do Porto e até alguns de Trás-os-Montes, atraídos pelos cursos de mecatrónica, porque é uma área onde não existe muita oferta”, explicou José Paiva.Segundo Amadeu Dinis “são tudo bons rapazes”. Mas há também cada vez mais raparigas na Cior. “Estamos a apostar nos cursos de Animação Sociocultural e outros de forma a cativar as jovens, até porque essa era uma reivindicação dos nossos alunos, a falta de raparigas na instituição”, afirmou José Paiva.Os estágios internacionais são também outro dos pontos fortes da Cior. “Todos os anos, os melhores alunos dos cursos têm a oportunidade de realizar um estágio profissional, formação em contexto de trabalho, em empresas de referência de Espanha e da Alemanha, no âmbito do programa comunitário Erasmus”, explicou Amadeu Dinis, salientando que estes estágios “são uma experiência única e enriquecedora para os alunos se confrontarem com realidades, experiências, metodologias, práticas laborais e dinâmicas empresariais que complementam o seu processo formativo e consolidam o seu perfil profissional”. No final da visita, Paulo Cunha disse estar “seguro e confiante” no trabalho desenvolvido pela Cior, sendo que a instituição é, sem dúvida, “uma mais-valia para o concelho”.

ALUNOS DO CURSO VOCACIONAL DA CIOR SERVEM CEIA DE REIS NA ENGENHO

Um grupo de alunos do Curso Vocacional de Animação, Teatro e Serviço de Mesa, da Escola Profissional CIOR, sob a orientação do formador Couto Faria, organizou e assegurou o serviço de mesa da Ceia de Reis dos colaboradores da Engenho, que se realizou, no passado dia 22 de janeiro, no Centro de Apoio Comunitário daquela Instituição.

Os jovens, apesar de se encontrarem no início do seu ciclo formativo, evidenciaram conhecimentos, capacidades e atitudes que foram reconhecidos e louvados pelas setenta pessoas que participaram na referida Ceia.

Fórum CIOR 2016

CIOR na Rádio Digital e na Famatv

Alunos e professores da Escola Profissional CIOR participaram, no dia 21-01-2016, no Fórum "Os Jovens e os Media 2016", atividade promovida pela Rádio Digital. 

Obrigado à Rádio Digital a oportunidade que nos proporcionou...

O SOL TAMBÉM NOS DÁ ÀGUA PURA

Projeto da CIOR selecionado para Prémio da FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO

A obtenção de água para consumo humano pelo processo destilação/condensação recorrendo a energia solar é um projeto de alunos da Escola Profissional CIOR que foi selecionado, na passada quarta-feira, no Fórum da Maia, para prémio da FIP.

Em linhas gerais este projeto consiste no estudo, conceção e elaboração de um protótipo para obtenção de água adequada para beber, através de energia solar. As águas salobras ou impróprias para consumo são muitas vezes uma fonte de propagação de doenças e limitação do desenvolvimento de aglomerados populacionais mais desfavorecidos.

Manuel Vieira, diretor do curso de Energias Renováveis, refere que propósito deste projeto será a “conceção de um sistema acessível, facilmente transportável e de fácil utilização, com recurso a concentradores de energia solar de modo a garantir a produção de água bacteriologicamente pura, pelo processo de destilação/condensação”. Para o efeito serão estabelecidas parcerias com entidades que possam contribuir para a valorização do projeto. A construção deste protótipo será feita nas oficinas de metalomecânica da escola, recorrendo aos equipamentos existentes e envolverá alunos do curso de produção metalomecânica e energias renováveis. O objetivo final será o de encontrar parceiros interessados na produção e comercialização do produto a baixo preço. Este trabalho enriquecerá a vertente científica dos alunos envolvidos e será realizado numa lógica multidisciplinar, com forte aposta nas áreas tecnológicas.

Ação Social

Novo CLDS avança para promover o emprego e combater a pobreza

O município de Vila Nova de Famalicão já está a trabalhar, desde o início deste mês de janeiro, no plano de ação para a concretização do novo Contrato Local de Desenvolvimento Social – CLDS 3G. Tendo como objetivos principais a promoção da inclusão social de todos os cidadãos, através do combate a situações de pobreza persistente e exclusão social no concelho, o CLDS 3G irá vigorar até finais de 2018, implicando um investimento de 356 mil euros. De acordo com o plano de ação elaborado com base no diagnóstico social do concelho e aprovado pelo Conselho Local de Ação Social (CLAS), serão concretizadas 26 ações, distribuídas por três eixos de intervenção: o emprego, formação e qualificação; a intervenção familiar e parental e a capacitação da comunidade e das instituições.

Entre as várias iniciativas destaque para as ações de formação de técnicos de organizações sociais, mas também empresários e empreendedores, para a realização da Feira das Profissões, e ainda para a criação de uma equipa de prevenção do abandono escolar.

A entidade coordenadora do projeto é a CIOR, Cooperativa de Ensino de Vila Nova de Famalicão, sendo o projeto desenvolvido e operacionalizado em parceria com a Engenho – Associação para o Desenvolvimento do Vale do Este e a Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais – Pasec. Trata-se de entidades “com vasta experiência na área da coordenação de projetos relacionados com desenvolvimento local, empreendedorismo e emprego, educação e formação”, refere a propósito o Presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, que preside também ao CLAS.

Todo o projeto será desenvolvida em articulação e parceria com a Câmara Municipal, a Segurança Social, o IEFP e as Comissões Sociais Interfreguesias.

Paulo Cunha mostra-se satisfeito e entusiasmado com a concretização deste projeto, que, acima de tudo, pretende ser “um instrumento de intervenção de proximidade, de modo a potenciar os territórios, a capacitação dos cidadãos e das famílias, promovendo assim, a equidade territorial, a igualdade de oportunidades e a inclusão social”.

Anterior | [1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] [8] [9] [10] [11] [12] [13] [14] [15] [16] [17] [18] [19] [20] [21] [22] [23] [24] [25] [26] [27] [28] | Próxima

Videos

Galeria

:: CIOR::
Anterior | [1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] [8] | Próxima